Imprensa Livre

Siderópolis – SC

Atualmente prioriza-se a “prevenção” de problemas bucais mais do que nunca, justamente porque já se sabe que a saúde da boca interfere diretamente na saúde do corpo…

Dessa forma, o tratamento preventivo começa já na gravidez, onde a gestante realiza o pré-natal odontológico pelo menos a cada 3 meses.

Eis aqui algumas dicas para as futuras mamães:
a) Aleitamento materno: o leite materno é o melhor para o bebê, e deve ser o único alimento a ser oferecido a ele até os seis meses de vida; promove o desenvolvimento dos músculos relacionados aos maxilares e língua, auxiliando na aquisição da fala, deglutição, oclusão e colabora efetivamente na prevenção da respiração bucal; confere imunidade natural ao bebê;

b) Higiene da boca do bebê: a limpeza da cavidade bucal do bebê deve ser iniciada antes mesmo da erupção dental, a partir dos primeiros dias de vida do bebê, com a finalidade de remover o leite estagnado em seu interior e nas comissuras labiais; massagear a gengiva e acostumá-lo à manipulação da boca. A limpeza pode ser realizada com uma gaze ou fralda limpa embebida em água filtrada e/ou misturar uma colher de água oxigenada 10 vol. em ½ copo de água fervida ou filtrada (fria) que deve ser passada delicadamente na gengiva, nos vestíbulos bucais;

c) Dieta: até os seis meses, priorizar o aleitamento exclusivo, após, ao se introduzir outros alimentos, desestimular o uso de açúcar em mamadeiras de leite e/ou sucos, papinhas, etc; alertar sobre o risco de cáries rampantes ou de “mamadeira”; orientar para não se usar mel, melado ou similar para a criança aceitar a chupeta. As papas de legumes não devem ser liquidificadas, mas sim amassadas com garfo para que a criança perceba as diferentes texturas dos alimentos e inicie o mais cedo possível o processo da mastigação;

d) Uso de fluoretos: o uso de creme dental na higienização (escovação) dos dentes da criança deverá ocorrer a partir do nascimento os primeiros molares decíduos, alertando para que a criança sempre cuspa a espuma da escovação. Usar quantidade mínima de creme dental (sujar a escova apenas).

e) O uso de bicos e chupetas devem ser desestimulados, pois a sucção do dedo, chupeta ou mamadeira é um fator que pode interferir negativamente no desenvolvimento facial da criança, podendo levar a alterações bucais, tais como: mordida aberta, mordida cruzada, inclinação inadequada dos dentes, diastemas e alterações no padrão de deglutição…

Acompanhe nosso artigo, no jornal de hoje:
http://www.omunicipio.com/portal/colunista/22/vilson-schambeck

Texto de Vilson Schambeck

Por: Fagner da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Imprensa Livre | Siderópolis.